tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h05m

Atendimento Permanente

Dr. David Sanz

Médico Especialista 
em Cirurgia Maxilo-Facial

Cirurgia Maxilo-Facial - Cirurgia da beleza e da saúde

HPA Magazine 12


A Cirurgia Maxilo-Facial é uma especialidade médica, que surgiu pela necessidade de integrar conhecimentos de outras especialidades, nomeadamente a Cirurgia Geral, a Otorrinolaringologia, a Cirurgia Plástica, a Estomatologia e a Medicina Dentária. Contudo, partilha áreas de excelência com todas estas especialidades médicas promovendo a abordagem multidisciplinar, por forma a que haja maior benefícios para os pacientes.
A especialidade tem como objetivo o restabelecimento estético e funcional de uma área anatómica específica: a face, a cavidade oral, a parte da região craniana ou algumas estruturas cervicais. 
A prática clínica diária envolve o trauma da face, o tratamento de tumores benignos e malignos da face, a cirurgia ortognática de reposicionamento dos maxilares no tratamento dos prognatismos (avanço excessivo da mandíbula em relação à face) ou retrognatismo (recuo da mandíbula em relação à face), tratamento de fendas labiais ou palatinas, a cirurgia estética da face e do pescoço como a rinoplastia, a blefaroplastia, a otoplastia, a queiloplastia, a mentoplastia, o lifting facial e cervical, a ridectomia, o preenchimento de sulcos e depressões. Na cirurgia remodeladora e reconstrutiva da face aborda a cirurgia da cavidade oral como a excisão de lesões orais, quistos ou tumores maxilares, a extração de dentes inclusos ou colocação de implantes. A Cirurgia Maxilo-Facial envolve ainda o tratamento de patologias da articulação temporomandibular (articulação que permite a abertura e o encerramento da boca), o tratamento da patologia das glândulas salivares (biópsias, cirurgia de tumores benignos e malignos, remoção de cálculos salivares pedras), o tratamento de infeções orais, faciais e cervicais como a drenagem de abcessos.

 



 

Cirurgia Maxilo-Facial e cirurgia Ortognática.

A cirurgia ortognática é utilizada para corrigir o posicionamento incorreto do maxilar e da mandíbula. Por exemplo, o queixo demasiado para a frente (prognatismo mandibular) ou o queixo demasiado para trás (retrognatismo), nos sorrisos que têm os dentes superiores muito avançados (mordida aberta) ou os dentes laterais sobrepostos (mordida cruzada). 
Embora comummente se pense que os traços físicos não vão para além da genética familiar, são estes fatores que desencadeiam as anomalias do crescimento ósseo da face. A verdade é que se trata de um inadequado posicionamento do osso maxilar e do osso mandibular que, além de prejudicar a aparência do rosto, afeta funções ou atividades básicas como trincar, mastigar, falar e até respirar. Para que a qualidade de vida não fique comprometida, este é um problema que deve ser resolvido (de preferência, apenas quando o crescimento ósseo estiver terminado).
Mas porquê uma cirurgia? Tratando-se de um desajuste dos maxilares, é natural que se pense que um aparelho dentário pode resolver rapidamente a questão. Mas a verdade é que em alguns casos, não será suficiente. A base do problema está no posicionamento dos ossos, e é lá que deve ser feita a intervenção. Usando apenas aparelho, podemos causar danos nos dentes, estes podem por vezes voltar à posição inicial e no fim acabarmos por não conseguir o resultado estético e funcional desejado, não ficando o problema resolvido, mas apenas remediado. O aparelho ortodôntico poderá ser usado como uma parte do tratamento, após a cirurgia, para corrigir o posicionamento dos dentes, de forma a garantir a posição certa que devem adotar com o osso, sendo esta a posição dos dentes que garante a sua estabilidade e saúde futura. Em certos casos, é possível fazer a cirurgia primeiro e inclusive optar pelo aparelho transparente (do tipo Invisaling).
É uma cirurgia realizada regularmente com planeamento 3D. O pós-operatório não é doloroso e os resultados são imediatos e previsíveis, promovendo positivamente a autoestima dos pacientes, não deixando qualquer cicatriz, uma vez que a intervenção é feita na parte interior da boca. Após a cirurgia, espera-se algum edema, que desaparece ao fim de 4-5 dias, sendo a alimentação feita com normalidade, devendo apenas tirar os elásticos dos dentes. Para finalizar o processo, são recomendadas algumas sessões de fisioterapia para melhorar a recuperação pós-operatória.