tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h36m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

Superior a 1H30

Pediatria

Hospital Particular da Madeira

00h41m

Pediatria

Enf.º Paulo Silva

Presidente do Conselho 
de Enfermagem
Coordenador de Enfermagem HPA – Alvor
Mestre em Risco e Proteção Civil

 

 

 

Planear com antecipação as catástrofes.
A importância do plano de emergência familiar

HPA Magazine 13

 


A proteção civil é a atividade desenvolvida pelos poderes central, regional e local, mas igualmente por todos os cidadãos e entidades públicas e privadas, com a finalidade de prevenir riscos coletivos inerentes a situações de acidente grave e/ou catástrofe, bem como atenuar os seus efeitos e, proteger e socorrer pessoas e bens em perigo. 
Assim sendo, nenhum cidadão poderá alhear-se da sua parte de responsabilidade, pois a proteção civil constitui um processo contínuo, pelo qual todos os indivíduos gerem os perigos, num esforço de evitar ou de minimizar o impacto resultante da concretização dos mesmos. Desta forma, é de extrema importância que todo o cidadão conheça o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da área de residência e de trabalho.
O ciclo de gestão da catástrofe contempla uma fase de preparação, que engloba as medidas que permitem aos governos, organizações, comunidades e mesmo cidadãos a título individual, responder rápida e eficazmente às situações de catástrofe. Um bom exemplo de preparação é exatamente o Plano de Emergência Familiar.
A informação contida no Plano de Emergência Familiar deve ser do conhecimento de todos os membros do seu agregado e deverá andar sempre com os mesmos, por exemplo, sob a forma de um cartão que pode ser colocado facilmente na carteira/mochila. 
Considerando que a sua família pode não estar junta quando se suceder uma catástrofe, é determinante planear como irão (re)agir. A Federal Emergency Management Agency (FEMA) dos Estados Unidos da América recomenda que haja uma preparação individual no âmbito da catástrofe, capaz de garantir as primeiras 72 horas após o evento, o que envolve o desenvolvimento de um plano de emergência familiar, assim como possuir um kit de emergência para três dias, para se abrigar em casa, contendo comida, água e outros bens/itens (www.ready.gov).

 

 


ETAPA 1 
Elabore um plano discutindo estas 4 perguntas com a sua família:

  • a. Como receberei alertas e avisos de emergência?
  • b. Qual é o meu plano de abrigo?
  • c. Qual é a minha rota de evacuação?
  • d. Qual é o meu plano de comunicação familiar?

ETAPA 2
Considere necessidades específicas em sua casa:

Prepare o plano, adapte-o às suas necessidades e responsabilidades específicas do quotidiano, sem esquecer:

  • a. As diferentes idades dos membros do agregado familiar e existência de alguém com necessidades especiais;
  • b. Se tem responsabilidades para ajudar outras pessoas;
  • c. Locais normalmente frequentados;
  • d. Necessidades alimentares;
  • e. Necessidades específicas de saúde, incluindo receitas médicas e equipamentos específicos (ex.º máquina de glicémia capilar caso seja diabético);
  • f. Existência de animais de estimação.

ETAPA 3
Preencha o plano de emergência familiar. Segundo a FEMA nele deve constar:

  • a. Local de encontro, se possível com contacto telefónico: nas imediações da habitação, dentro e fora da cidade;
  • b. Nome completo de todos os membros do agregado familiar, data de nascimento e número de identificação e de segurança social; 
  • c. Local(ais) de trabalho(s) e escolas dos diferentes membros, assim como os respetivos números de contacto. 

ETAPA 4
Treine o plano com sua família.

Para fazer face a uma catástrofe é fundamental que no plano de emergência familiar conste um kit básico de emergência, adequado à dimensão e à realidade de cada família. Este kit deve ser revisto a cada 6 meses, de modo a garantir a sua operacionalidade e, em particular, o controlo dos prazos de validade dos bens/itens que o compõem (ver tabela 1).

O kit pode ser enriquecido com itens adicionais:

  •  Medicamentos em uso e óculos suplentes;
  •  Alimentação e fraldas para bebés (se aplicável);
  •  Kit de emergência para animais domésticos:;
  •  Água e comida para 72 horas; 
  •  Registos médicos e medicamentos;
  •  Coleira com chapa de identificação e arnês ou trela;
  •  Caixa de transporte;
  •  Cópias de documentos relevantes (ex.: identificação, seguro de saúde) num recipiente à prova de água e portátil;
  •  Dinheiro (destrocado) ou cheques;
  •  Saco-cama por pessoa;
  •  Muda completa de roupa, incluindo uma blusa de manga comprida, calças e calçado resistente. Considerar roupas adicionais se clima frio;
  •  Lixívia (hipoclorito de sódio) pura de uso doméstico e pipeta conta-gotas, pois poderá ser necessário desinfetar a água (uma diluição de 9 partes de água para uma de lixívia ou em caso de emergência 5 gotas de lixívia por cada litro de água);
  •  Extintor de incêndio;
  •  Fósforos num recipiente à prova de água;
  •  Itens de higiene pessoal feminina e outros acessórios;
  •  Kits de alimentação com copos, pratos e outros utensílios de plástico, toalhas e guardanapos de papel;
  •  Papel e lápis;
  •  Livros, jogos, quebra-cabeças ou outras atividades para crianças (se aplicável);
  •  Considerar eventuais necessidades especiais, por exemplo com idosos (se aplicável).