tempos médios de espera

Clínica Particular AlgarveShopping

00h00m

Atendimento Permanente

Clínica Particular de Vilamoura

00h00m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Alvor

00h00m

Atendimento Permanente

00h12m

Pediatria

Hospital Particular Gambelas

00h12m

Atendimento Permanente

00h10m

Pediatria

Centro Médico Internacional VRSA

00h00m

Atendimento Permanente

Hospital São Camilo Portimão

00h00m

Atendimento Permanente

Clínica Particular SIIPEMOR

00h00m

Pediatria

Clídis – Clínica de Diagnósticos de Sines

00h00m

Atendimento Permanente

Fisioterapia




Através de variadas técnicas, adequadas ao seu problema, o seu Fisioterapeuta vai conseguir dar-lhe a maior funcionalidade e qualidade de vida possível, de acordo com as suas capacidades.

Possuímos uma equipa de Fisioterapeutas experientes e com competências especializadas em diversas áreas de intervenção e/ou técnicas.

O Serviço de Fisioterapia e Reabilitação está disponível na maior parte das unidades HPA e disponibiliza apoio ao Internamento, Ambulatório/Consultas Externas e Domicilio. Os seus ginásios estão devidamente equipados e com as mais modernas tecnologias.

Os Fisioterapeutas exercem uma prática com base na sua avaliação sistemática, planeando e executando com o paciente programas específicos de intervenção, para os quais utilizam, entre outros meios, o exercício físico, a massoterapia, terapias manipulativas, eletroterapia e hidroterapia



Pode contar com o nosso melhor desempenho porque o seu sucesso será também o nosso sucesso! 


ÁREAS DE INTERVENÇÃO


A nossa equipa de Fisioterapeutas possui especialização em distintas áreas de intervenção:
  • Condições Cardiorrespiratória: EAM (enfarte agudo do miocárdio), AVC (Acidente Vascular Cerebral), asma, bronquite, insuficiência respiratória, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, entre outras;
     
  • Condições Geriátricas: Prevenção de quedas e imobilidade;
     
  • Condições Neurológicas: Lesões vertebro-medulares, doenças nervosas degenerativas (Esclerose Múltipla, Esclerose Lateral Amiotrófica, Alzheimer, Parkinson, etc.);

  • Condições Oncológicas: Reabilitação pós mastectomia, lobectomias e pneumectomias, alívio da dor;

  • Condições Ortopédicas / Traumatológicas: fraturas, luxações, subluxações, contusões, condições pré e pós cirúrgicas (prótese anca e joelho, etc.) lombalgias, ciatalgias, roturas musculares, tendinites;

  • Condições Otorrinolaringológicas: Síndrome vertiginoso.

  • Condições Pediátricas: Displasia da anca, torcicolo congénito, paralisia cerebral, bronquiolite, asma, entre outras;

  • Condições Reumatológicas: Artrose, artrite reumatoide, espondilite anquilosante, entre outras;

  • Dermoestética: Linfo edema, problemas cicatriciais, condições pós cirúrgicas;

  • Saúde da Mulher: Incontinência urinária, fisioterapia pré parto e pós parto;


EXERCÍCIO FÍSICO NA PREVENÇÃO DE QUEDAS

 

O processo de envelhecimento mundial traduz-se numa alteração demográfica severa. Estando a faixa etária com idade superior a 65 anos mais suscetível ao declínio do estado de saúde. Aproximadamente um terço deste grupo tem registo de uma queda por ano, com lesões associadas, diminuição da capacidade funcional e aumento da mortalidade, sendo um dos mais graves problemas de saúde pública na atualidade.

A fraqueza muscular, os distúrbios na marcha e as alterações no equilíbrio são fatores promotores de queda e associados ao envelhecimento, no entanto são modificáveis com a prática regular de exercício físico estruturado.


EXERCÍCIO FÍSICO NA GESTÃO DAS DOENÇAS CRÓNICAS

 

A inatividade física e o descondicionamento muscular estão associados ao envelhecimento da população e são considerados fatores de risco para a mortalidade prematura tão importantes como o fumo, a dislipidemia e a hipertensão arterial.

Existe evidência robusta na relação entre inatividade física e presença de fatores de risco cardiovascular como hipertensão arterial, resistência à insulina, diabetes, dislipidemia e obesidade.

A prática regular de atividade física e participação em programas de exercício estruturado, são recomendados para a prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares e outras doenças crónicas.


REABILITAÇÃO NEUROLÓGICA INTENSIVA

 

O Grupo HPA Saúde possui um corpo multiprofissional a operar na área da reabilitação neurológica com a inclusão de programas intensivos e interdisciplinares.

Na primeira consulta e após uma avaliação detalhada das deficiências, das limitações e restrições do paciente, é proposto um plano de terapia intensiva que pode atingir até seis horas por dia, cinco dias por semana, durante oito semanas.

O centro e o foco da equipa interdisciplinar são o utente e a sua família, cujos objetivos e expectativas são respeitados e trabalhados pela equipa envolvida: Médico Fisiatra, Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional, Terapeuta da Fala e Neuropsicólogo.

Estes programas são essencialmente desenvolvidos para sequelas após acidente vascular cerebral, traumatismo cranioencefálico, lesões vertebro-medulares, entre outras condições neurológicas.

Conheça os nossos programas.

Programas

FISIOTERAPIA NA SAÚDE DA MULHER

 

As nossas Fisioterapeutas especializadas nesta área estão aptas para acompanhar e desenvolver a Saúde da Mulher ao longo de toda a sua vida, com enfoque para a Preparação Pré e Pós Parto, a Incontinência Urinária e/ou Fecal (também masculina e nas crianças), o Prolapso Genital, as Disfunções Sexuais relacionadas com o pavimento pélvico (também no homem) e ainda condições cirúrgicas da mama e uroginecológicas.

 

Para uma avaliação exata e eficiente dos sintomas e do diagnóstico detalhado da mulher, possuímos todas as possibilidades e recursos, orientados pelas mais recentes diretrizes e recomendações internacionais.

 

Disponibilizamos vários tipos de tratamentos, cuja opção é sempre individualizada, dependendo das queixas e da situação pessoal. Por exemplo, terapia manual, exercício terapêutico, electroestimulação e biofeedback.


REABILITAÇÃO VESTIBULAR

 

De forma global o objetivo deste método visa a adaptação da interação visual-vestibular (estabilização do olhar) usando movimentos repetitivos da cabeça e/ou dos olhos, que contribuem para reduzir o erro e restaurar o ganho do reflexo vestíbulo-ocular.

 

Podem ser utilizadas técnicas de intervenção para lesões vestibulares periféricas  (sobretudo unilaterais, como as nevrites vestibulares e as labirintites), défices vestibulares bilaterais, défices multissensoriais  no idoso, síndromes vestibulares centrais, vertigens psicogénicas, vertigens posicionais  (vertigem paroxística posicional benigna e vertigens posicionais centrais) e vertigens visuais.

 

Existem manobras específicas de reposicionamento na reabilitação vestibular como as manobras de reposicionamento canalitísiase ou Epley, Semont e Liberatory, com o objetivo de reposicionar os cristais e que podem posteriormente ser complementadas com exercícios de óculo-motricidade, vestíbulo-oculares, vestíbulo medulares e propriocetivos.

Habitualmente são realizadas sessões 2 a 3 vezes por semana, dependendo da fase de intervenção e englobando tanto as terapias manuais quanto as manobras de reposição vestibular.