tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h00m

Atendimento Urgente

Hospital Particular Gambelas

00h00m

Atendimento Urgente

00h00m

Pediatria

Hospital Particular da Madeira

00h00m

Atendimento Urgente

00h00m

Pediatria

Madeira Medical Center

00h00m

Atendimento Urgente

Prof. Doutor Tiago S. Rodrigues

Urologista

Prof. Doutor Tiago  S. Rodrigues

A Robótica na Hiperplasia Benigna da Próstata

Mais uma inovação nacional do Grupo HPA Saúde

HPA Magazine 19

A próstata é uma glândula do tamanho de uma castanha e que faz parte do aparelho reprodutor masculino, estando localizada à frente do reto e abaixo da bexiga.
A hiperplasia benigna da próstata (HBP) consiste no aumento das dimensões da próstata levando à compressão da uretra. A incidência de HBP aumenta com a idade, afetando de forma sintomática aproximadamente 25% dos homens com idade superior a 40 anos e cerca de 75% com mais de 65 anos.
A importância desta doença deve-se aos sintomas que provoca e que afetam a qualidade de vida dos homens. A próstata envolve a uretra e o aumento do seu tamanho pode levar à compressão desta estrutura e, consequente, à obstrução da bexiga. 



 


 

Os sintomas provocados pela HBP são o aumento da frequência urinária, quer durante o dia, quer durante a noite, a vontade súbita e inadiável de urinar, a incontinência, o gotejamento no final da micção, a dificuldade em iniciar a micção e a necessidade de esforço abdominal para urinar. Estes sintomas agravam-se com tempo e condicionam a atividade diária e o padrão de sono, alterando drasticamente a qualidade de vida destes doentes. Se deixada sem tratamento, pode ainda provocar alterações irreversíveis no funcionamento da bexiga bem como dos rins levando, inclusive, à insuficiência renal.
O tamanho não é um indicador fiável da gravidade, não existindo uma boa correlação entre os sintomas e o tamanho da próstata. Alguns homens com próstatas grandes (superiores a 100g) podem ter poucos sintomas que não interferem com a sua qualidade de vida, existindo outros homens, com próstatas mais pequenas (30-40g) com sintomatologia urinária severa.
É por isso obrigatório realizar-se uma avaliação do nível de obstrução e da gravidade dos sintomas que a mesma condiciona. 
As opções terapêuticas para o tratamento da HBP incluem a abordagem farmacológica e a cirúrgica.
A medicação inclui vários grupos de fármacos dos quais se destacam dois. Um grupo de medicamentos (bloqueadores dos recetores α1-adrenégicos) que relaxam a musculatura prostática, o colo da bexiga e a uretra proximal, e são os mais rápidos na diminuição dos sintomas. Os do segundo grupo (inibidores da 5α-redutase) bloqueiam a transformação na próstata da hormona masculina, testosterona em dihidrotestosterona, o que faz diminuir parcialmente o volume deste órgão e os sintomas urinários, embora demorem algumas semanas a atuar e só sejam eficazes nas próstatas mais volumosas.
Mais recentemente foi demonstrado que um medicamento (o tadalafil) usado no tratamento da disfunção eréctil, quando tomado diariamente tem vantagens nos doentes que tenham sintomas de HBP associados a problemas de ereção.
Classicamente, na falência dos tratamentos médicos opta-se por um tratamento cirúrgico. A técnica cirúrgica é determinada pelas dimensões da próstata, disponibilidade de equipamento e experiência do cirurgião. Para próstatas até 80 gramas realizam-se procedimentos transuretrais, preferencialmente com energia bipolar ou laser, e para próstatas com mais de 100 gramas, cirurgia aberta ou laparoscopia.
Em qualquer destas cirurgias o objetivo é o mesmo: a remoção do tecido hipertrofiado e obstrutivo central responsável pela sintomatologia, podendo, contudo, existir o risco de incontinência urinária, disfunção erétil ou disfunção ejaculatória.
Tecnologia Robótica Trata a Hiperplasia Benigna da Próstata em Seis Minutos
O Aquabeam, assim se chama esta nova tecnologia para o tratamento da HBP, pode ser utilizada em todos os tamanhos de próstata, com a vantagem substancial de preservar a vida sexual e a continência. 
É um robô que utiliza um jato de água de alta pressão - 10.000 PSI -, para desobstruir a uretra e melhorar os sintomas urinários. O sistema robótico Aquabeam permite a ablação do tecido prostático hipertrofiado, sem utilizar nenhum tipo de energia térmica, ao contrário das cirurgias endoscópicas clássicas ou com laser. 
O cirurgião controla todo o procedimento através da ecografia e da imagem cistoscopia em tempo real, planeando o tratamento de forma personalizada e delimitando o tecido prostático a remover pelo robô. Uma vez que todos os parâmetros estejam integrados, o robô realiza o procedimento de forma rápida, previsível e precisa (cerca de 6 minutos). Após terminar, é colocado um cateter na bexiga que geralmente é retirado no dia seguinte, permitindo que o paciente receba alta após 24Horas. 
Além do menor tempo de internamento, a preservação da vida sexual, nomeadamente da ejaculação, e a menor perda de sangue constituem importantes mais-valias.

A HIDRO ABLAÇÃO ROBÓTICA DO AQUABEAM PERMITE AINDA:

  • Possibilidade de tratar qualquer tamanho de próstata com ou sem lobo mediano
  • Reprodutibilidade por se tratar de um sistema robótico no qual a resseção a ser realizada é planejada por software e controlada em tempo real por visão ultrassonográfica
  • A curva de aprendizagem para o Urologista é considerada pequena
  • Tempo de resseção e tempo cirúrgico muito menores do que qualquer outra técnica
  • Taxa muito baixa de estenose uretral
  • Percentagem muito baixa de retratamentos

Até ao momento já foram instalados em todo o mundo cerca de 130 robôs, sendo que o primeiro em Portugal se encontra no HPA Gambelas. 
Esta inovação tecnológica vem juntar-se à biópsia prostática por microecografia, à microecografia prostática transretal em alta definição e às ondas de choque de baixa intensidade para a disfunção erétil, tornando o Grupo de Urologia do HPA, uma referência nacional.