tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

Superior a 1H30

Atendimento Urgente

Hospital Particular Gambelas

01h12m

Atendimento Urgente

00h00m

Pediatria

Hospital Particular da Madeira

00h50m

Atendimento Urgente

00h00m

Pediatria

Madeira Medical Center

00h00m

Atendimento Urgente

Enf. Renato Gonçalves

Exames Especiais

 

Enf. Renato Gonçalves

Enf. Francisco Martins

Exames Especiais

 

Enf. Francisco Martins

Tratamento ondas de choque de baixa Intensidade na disfunção erétil

HPA Magazine 21 // 2024

“Isto nunca me aconteceu antes!”
Esta pode ser encarada como uma das mais usuais respostas dadas à constrangedora situação na qual o homem é assombrado pelo “fantasma” da disfunção eréctil. Mais do que um infortúnio, a impotência envolve valores culturais referentes às expectativas dos comportamentos sexuais de homens e mulheres.
Somente no final deste século começaram a surgir soluções farmacológicas, como: Viagra®, Uprima®, Cialis® e Levitra® que se tornaram muito importantes no combate à disfunção eréctil. Porém, ao mesmo tempo em que matou o “x” da questão, essas medicações afetaram as práticas de jovens e idosos. 
Destes “efeitos secundários”, surgiram cada vez mais casos que provam que a incapacidade em conseguir completar a relação íntima resulta em medo, diminuição de autoconfiança, perda de autoestima e depressão. O poder instantâneo do remédio, em alguns casos, tende a afastar o afeto e a preocupação com a saúde no alcance de uma “invejável” performance sexual.


Tratamento ondas de choque de baixa Intensidade Na disfunção erétil


 

Desmistificando o “fantasma”…
Observou-se num estudo epidemiológico realizado em Portugal, que a prevalência global de qualquer tipo de disfunção sexual atingia 23.9% da população masculina, entre os 18 e os 75 anos. Destes, cerca de 13% apresentavam algum grau de perda da capacidade erétil. 
Sendo a disfunção erétil uma patologia muito frequente, é necessário que olhemos para esta condição pelo prisma da normalização e resolução do problema, como todas as outras afeções e nunca como motivo de exclusão e discriminação.
Segundo o 4º International Consultation on Sexual Medicine, realizado em 2015, a disfunção erétil define-se como “a incapacidade constante ou recorrente de obter ou manter uma ereção peniana capaz de atingir satisfação sexual”.
Previamente considerada uma doença psicológica, hoje em dia reconhece-se esta patologia como resultado tanto de fatores biológicos, como psicológicos e psiquiátricos, socioculturais, patológicos e também como possível consequência do uso de certas terapias e drogas recreativas.
Uma das causas da disfunção erétil é a doença de Peyronie, cuja manifestação é o desenvolvimento de tecido cicatricial dentro do pénis, resultando em ereções curvadas e muitas vezes dolorosas, causadoras da disfunção erétil.
A causa da doença de Peyronie não é completamente conhecida, no entanto, existem alguns fatores que aumentam o risco de desenvolvimento de tecido cicatricial à volta do pénis, como fatores biológicos, patológicos, ou, dos mais frequentes, algum trauma ocorrido no pénis, proveniente de um ato sexual. 

O tratamento…
O aparecimento do tratamento de ondas de choque de baixa intensidade veio trazer grande esperança no que toca à resolução da disfunção eréctil e da doença do Peyronie. Este novo e inovador tratamento visa restabelecer o mecanismo erétil, de modo que os homens tenham a possibilidade de ter ereções sem ajuda de medicação, permitindo mesmo a cura desta disfunção.
Deste modo, atendendo a estes resultados, o tratamento de ondas de choque de baixa intensidade, é considerado nas guidelines da Associação Europeia de Urologia, como uma terapêutica de primeira linha no tratamento da disfunção eréctil.
 

Como funciona o tratamento?
As ondas de choque de baixa intensidade são ondas sonoras que promovem microtraumas locais originando a criação de novos vasos sanguíneos como consequência desses microtraumas. Estes promovem o aporte de proteínas nessa região, o que estimula a formação de novos vasos sanguíneos (neovascularização), a partir da rede de capilares preexistentes, melhorando assim, a ereção e a rigidez peniana.
A terapia por ondas de choque devolve as ereções espontâneas, recupera o tecido erétil dos corpos cavernosos e não interage com outros medicamentos. Os resultados do tratamento são atingidos de forma gradual, onde é necessária a confiança do paciente tanto nos profissionais de saúde, como na eficácia do tratamento. A paciência, a resiliência, a assiduidade aos tratamentos e o compromisso de seguir todas as indicações terapêuticas propostas pelo médico e enfermeiro, são determinantes para os resultados e o sucesso desta intervenção. Partilhamos a opinião de alguns pacientes que terminaram o tratamento com sucesso, relativamente ao tratamento e à equipa que os acompanhou:
“Tenho 70 anos e fui diagnosticado com a doença de Peyronie. Fiz tratamento de ondas de choque de baixa intensidade. Fiz 10 sessões, com o enfermeiro Renato Gonçalves no HPA e o resultado ficou acima das minhas expectativas.”
“Acabei de fazer um tratamento de 5 sessões de ondas de choque e senti logo uma melhoria depois do 3º tratamento. Neste momento sinto-me normal como quando era jovem, os enfermeiros Renato e Francisco, são excelentes pessoas, sabem como falar com os pacientes, e colocam à vontade os mesmos. Fiquei satisfeito com o tratamento e sem dúvida recomendo.”
 “Tenho 46 anos, sofro de disfunção eréctil e realizei o tratamento com os enfermeiros Renato e Francisco, o qual funcionou na perfeição. É um tratamento que não provoca dor. Fui muito bem tratado e foram-me explicados os vários processos ao longo do tratamento.”
Em suma, a sexualidade é um aspeto central na vida do ser humano, sendo um parâmetro relevante na avaliação da qualidade de vida.
A disfunção erétil e a doença de Peyronie estão diretamente ligadas à sexualidade, podendo ter um efeito negativo na saúde em geral, dado que a incapacidade em conseguir completar a relação íntima resulta em medo, diminuição de autoconfiança, perda de autoestima, e depressão. Conseguimos afirmar que este tratamento é sem dúvida a melhor solução para um problema que afecta mais de 150 milhões de homens em todo mundo, onde muitas vezes a principal dificuldade é dar o primeiro passo para realizar o tratamento. 
As ondas de choque de baixa intensidade para a disfunção erétil são realizadas no Grupo HPA Saúde, no Hospital de Gambelas. O tratamento pode ser agendado através do e-mail examesespeciaishpaf@grupohpa.com ou através do número 967 178 009 (dias úteis das 9h às 18h).  Após o agendamento, é realizada uma consulta com o médico urologista de referência, que avalia o paciente e prescreve o tratamento indicado. Este é realizado semanalmente e cada sessão tem a duração de 30 a 40 minutos. Não é invasivo, é indolor e não requere qualquer tipo de preparação, sedação ou anestesia.