tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

Madeira Medical Center

00h01m

Atendimento Permanente

Dr. Felix Bartzsch

Ginecologista/Obstetra

Dr.ª Carmen Klink

Ginecologista/Obstetra

Cirurgias minimamente invasivas na Ginecologia
Laparoscopia e Histeroscopia

HPA Magazine 8

 

Desde a primeira laparoscopia diagnóstica efetuada em 1910 pelo médico sueco Hans Christian Jacobaeus, as técnicas cirúrgicas laparoscópicas e instrumentos evoluíram consideravelmente. A partir dos anos 1930, a ginecologia trabalhou progressivamente com esta técnica, aperfeiçoando-a, reconhecendo a sua importância, eficácia e vantagens. Foi assim que em 1980 o Ginecologista alemão Dr. Kurt Semm, Kiel, Alemanha realizou a primeira apendicectomia laparoscópica.
As grandes vantagens, como diz o próprio nome, são que as técnicas minimamente invasivas não traumatizam o tecido adjacente como nas cirurgias clássicas, podendo assim trabalhar-se com mais precisão. Desta forma, cortes e cicatrizes grandes são evitadas causando menos dor, baixando consideravelmente a hospitalização e o tempo de recuperação dos pacientes. Outra vantagem é o menor risco de perda de sangue e de infeções, o que diminui o uso de antibióticos.
Porém, há também limitações que não permitem a realização dessa técnica. Por exemplo, algumas doenças cardíacas e pulmonares, ou certos diagnósticos, como as neoplasias e as doenças avançadas.
Durante a consulta pré-operatória são sempre considerados os sintomas, o diagnóstico e a situação pessoal, para assim se recomendar o melhor método cirúrgico para cada caso.



VÍDEO-LAPAROSCOPIA GINECOLÓGICA
Através da Laparoscopia é possível visualizar os órgãos abdominais e pélvicos sendo eles na ginecologia o útero, os ovários e as trompas. Podem ser feitos diagnósticos precisos e ao mesmo tempo, se for necessário, realizar o tratamento. As cirurgias mais frequentemente realizadas por via laparoscopia são:

  • Excisão de quistos e tumores do ovário
  • Diagnóstico de infertilidade com Cromotubação (sem Radiação);
  • Laqueação das trompas;
  • Diagnóstico e tratamento da endometriose;
  • Miomectomia (conservando o útero);
  • Diagnóstico de dor pélvica crónica;
  • Lise de aderências;
  • Gravidez ectópica;
  • Histerectomia (subtotal ou total);
  • Prolapso genital;
  • Certas doenças malignas.

VÍDEO-HISTEROSCOPIA
A Histeroscopia é uma técnica endoscópica aplicada no diagnóstico da infertilidade, em hemorragias anormais e no tratamento de alterações da cavidade uterina, como malformações, pólipos ou miomas. A grande vantagem é a realização da cirurgia sob continua visualização da patologia. Na maioria das vezes trata-se de uma cirurgia ambulatória. Procedimentos frequentemente realizados por via histeroscópica são:

  • Biopsias do endométrio;
  • Ablação do endométrio;
  • Excisão de pólipos e/ou miomas;
  • Excisão de septos;
  • Diagnóstico de infertilidade.

As técnicas de cirurgias minimamente invasivas são essenciais para o diagnóstico e tratamento em Ginecologia, beneficiando as pacientes de recuperação mais rápida e menos dolorosa.


1 - Procedimento de uma miomectomia intramural laparoscópica
 


2 - Orgãos pélvicos sem alterações


3 - Útero miomatoso com miomas subserosos 4 - Quisto do ovário direito


5 - Cavidade uterina sem alterações 6 - Cavidade uterina com Pólipo Endometrial


7 - Histeroscopia