tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

Madeira Medical Center

00h01m

Atendimento Permanente


Dr. Javier Gallego

Cirurgião Cardiotorácico

 

Hiperidrose e rubor facial

Não se deixe intimidar

HPA Magazine 9


A Hiperidrose consiste num aumento exagerado e desnecessário da sudorese que afeta de um modo especial as mãos, axilas e pés. 
A transpiração é uma função necessária para o controlo da temperatura corporal, sendo regulada pelo sistema simpático. Contudo, cerca de 2,5% da população tem um funcionamento inapropriado deste sistema, ou seja, tem um estímulo exagerado das glândulas sudoríparas, uma produção intensa de sudorese em determinadas zonas do corpo que se traduz na Hiperidrose.
A forma mais comum e mais incomodativa da Hiperidrose é a que afeta as palmas das mãos, pois provoca um incómodo nos relacionamentos sociais (cumprimentar com um aperto de mão), bem como nas atividades laborais (manusear componentes eletrónicos, mercadorias delicadas, tratamentos de estética). 
 



A Hiperidrose axilar é também frequente e igualmente incomodativa e embaraçante, pois deixa marcas visíveis na maioria das roupas. 
Por seu lado, a Hiperidrose plantar condiciona muito o dia-a-dia dos doentes, principalmen-te na escolha do calçado e igualmente pela impossibilidade de utilizar sapatos abertos no verão.
A Hiperidrose craniofacial é a transpiração excessiva na face e no couro cabeludo. Esta situação não pode ser “disfarçada”, pelo que há pessoas que deixam de realizar determinadas atividades quotidianas e muitos referem mesmo que a situação afetou a sua ascensão a nível profissional.
O rubor facial pode estar relacionado com uma alteração do sistema nervoso autónomo, provocando um eritema facial e condicionando igualmente de forma importante a participação profissional e social, pois cria insegurança na altura de entrar em contacto com outras pessoas, sendo que a tendência é ocultar o problema.

TRATAMENTO MINIMAMENTE INVASIVO 
O tratamento definitivo da Hiperidrose é a Simpaticectomia Torácica Superior Bilateral Vídeo-assistida. É conhecida desde há muito tempo mas, até há poucos anos não era possível fazer a cirurgia de uma forma simples e minimamente invasiva. 
A cirurgia torácica vídeo-assistida e minimamente invasiva revolucionou o tratamento da Hiperidrose ao permitir interromper a inervação simpática de forma seletiva e definitiva, com uma taxa de sucesso de 98%, nomeadamente no caso das mãos e das axilas.
A cirurgia é feita com anestesia local, possibilitando que o doente vá para casa no mesmo dia e que possa retomar a sua atividade laboral ao fim de dois dias.

COMO É REALIZADA A CIRURGIA?
O procedimento cirúrgico consiste na colocação de um pequeno clip de titânio que desta forma bloqueia o gânglio do nervo simpático responsável pela transpiração da zona em questão, o que resolve de forma imediata e definitiva o problema da transpiração excessiva.
Para colocar o clip são realizadas duas incisões muito pequenas debaixo das axilas e, com uma câmara endoscópica de 3 ou 5 mm e instrumentos de cirurgia minimamente invasiva é possível aceder ao nervo.
Esta técnica é uma solução recente que permite reverter os possíveis efeitos secundários da cirurgia que, segundo a nossa experiência, ocorrem em menos de 3% dos casos, como é o caso da transpiração compensatória.

EXISTEM EFEITOS SECUNDÁRIOS?
Numa percentagem mínima de doentes (1-2%) pode aparecer a chamada Hiperidrose compensatória; um ligeiro aumento da transpiração nas costas e no abdómen, normalmente muito bem tolerada e substancialmente preferível à transpiração das mãos e das axilas. O facto de se aplicar clips de titânio faz com que no caso do aparecimento de Hiperidrose compensatória esta possa ser revertida com a retirada dos clips, fazendo desta técnica uma “cirurgia reversível”.

HÁ ALTERNATIVAS À CIRURGIA?
A toxina botulínica (Botox®) é um tratamento alternativo à cirurgia, sendo aplicado por meio de injeções locais e apresentando bons resultados para a transpiração axilar isolada. 
Para avaliar a intensidade e extensão da transpiração axilar é realizado previamente o teste de Minor, sendo que a transpiração só desaparece ao fim de dois dias após a introdução da toxina. Esta alternativa à cirurgia não é contudo definitiva, havendo necessidade de voltar a realizar o Botox®, uma vez que a Hiperidrose retorna habitualmente após os seis meses.
Para a transpiração craniofacial há a possibilidade de aplicação de um gel, manipulado nas farmácias, mas com necessidade de receita médica, que apesar de não ser igualmente uma possibilidade definitiva, melhora substancialmente os sintomas.

A consulta especializada de Hiperidrose e Rubor Facial é da responsabilidade do Professor Javier Gallego, bem como o site www.hiperidrose.pt