tempos médios de espera

Clínica Particular AlgarveShopping

00h00m

Atendimento Permanente

Clínica Particular de Vilamoura

00h00m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Alvor

00h00m

Atendimento Permanente

00h12m

Pediatria

Hospital Particular Gambelas

00h12m

Atendimento Permanente

00h10m

Pediatria

Centro Médico Internacional VRSA

00h00m

Atendimento Permanente

Hospital São Camilo Portimão

00h00m

Atendimento Permanente

Clínica Particular SIIPEMOR

00h00m

Pediatria

Clídis – Clínica de Diagnósticos de Sines

00h00m

Atendimento Permanente

Notícias

PRIMEIRA VÁLVULA AÓRTICA POR VIA TRANSAPICAL ACONTECE NO HPA

No passado domingo foi realizado pela primeira vez no Algarve um Implante Percutâneo ou Transcatéter da Válvula Aórtica por Via Transapical.

 

Segundo o Prof. José Baptista Coordenador da Unidade de Intervenção Cardiovascular do Grupo HPA Saúde “esta era a única via possível de acesso para o implante. Tratava-se de uma situação complexa e grave. Se não tivéssemos investido nesta possibilidade, a sobrevida desta paciente inglesa estaria com toda a certeza e a breve trecho, muito comprometida”. 

“Até agora só tínhamos utilizado a técnica pela via femoral. No entanto, esse acesso para este caso manifestou-se inviabilizado, uma vez que encontrámos uma calcificação importante no trajeto até a válvula aórtica”, sublinha o Prof. Baptista.

“Quando não existe nenhuma via de acesso para fazer chegar a válvula ao coração, de forma minimamente invasiva, a solução é realizar uma pequena incisão de cerca de 4 cm por debaixo da mama, para assim entrar no coração diretamente, através do apex. Esta intervenção requer uma grande coordenação entre a equipa de cirurgiões cardíacos e a equipa de cardiologistas de intervenção, os clínicos que compõem o Heart Team”, sublinha ainda o Prof. José Baptista.

 

O Implante Percutâneo da Válvula Aórtica veio revolucionar a abordagem da Estenose Aórtica, ao proporcionar a sua substituição (não-cirúrgica) em doentes com quadros graves desta condição, em situação inoperável ou com risco muito elevado para a cirurgia de coração aberto. A Estenose Aórtica é uma das doenças mais comuns na população idosa, correspondendo a 40% de todas as valvulopatias diagnosticadas. Em Portugal estima-se que esta condição afete mais de 30.000 pessoas, número que tenderá a aumentar de acordo com a previsibilidade que possuímos acerca do envelhecimento populacional.

 

Apesar da complexidade da intervenção, esta revelou-se um enorme sucesso, mantendo o Hospital Particular do Algarve como uma das referências da Cardiologia de Intervenção, no panorama nacional da medicina privada.