tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

01h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

Superior a 1H30

Atendimento Permanente

Anestesiologia

Anestesiologia


A Anestesiologia é uma especialidade médica em que os seus elementos são peritos em Anestesia, Medicina Intensiva, Medicina da Dor aguda/crónica e Emergência intra/extra-hospitalar.

Na revista Science em 2008 é descrita como uma das dez especialidades médicas que terá maior evolução nos próximos 20 anos.

O Anestesiologista cuida do doente cirúrgico em todo o período peri-operatório, funcionando como o seu "anjo da guarda", mas também durante o recobro operatório, assegurando a continuação do seu  bem-estar.

Na consulta pré-anestésica tem oportunidade de conhecer o seu Anestesiologista. Tire as suas dúvidas com ele no período péri-operatório.

Existe um apoio fundamental que é dado pelos Anestesiologistas na Maternidade, pois desempenham um apoio vital às mães na Analgesia/Anestesia do trabalho de Parto.

Esta especialidade desempenha um papel fundamental na Medicina de Cuidados Intensivos, colaborando de forma ativa com as outras especialidades médicas existentes neste tipo de Unidades, utilizando conhecimentos e técnicas específicos.

Como especialista em Reanimação, ocupa-se da formação e manutenção de toda a rede de emergência intra-hospitalar.

especialidade disponível nas unidades

 

Assista com a criança a este vídeo, desenvolvido pelo Clube de Anestesia Regional, CAR/ESRA Portugal (www.anestesiaregional.com). Onde se explica o que é Anestesiologia e se desmistifica todo o processo cirúrgico:


Anestesia e Sedação em Crianças

A anestesia em pediatria reveste-se de especificidades que importa esclarecer aos pais/tutores da criança, para que todo o processo se estabeleça de forma segura e serena. Deixamos-lhe por isso alguns esclarecimentos que adotamos no Grupo HPA Saúde.
O planeamento da anestesia é efetuado de acordo com o estado clínico da criança, com os antecedentes médicos, cirúrgicos e anestésicos, incluindo medicação habitual e alergias. 

Sempre que possível o médico anestesista discute a opção da técnica anestésica com os pais ou representes da criança, explicando os riscos, benefícios e pormenores da mesma.

Deve explicar à criança, da forma que achar mais confortável, aquilo que vai acontecer (pois é quem a conhece melhor), de modo a que esta se habitue à ideia da hospitalização e a todo o processo que vai ocorrer com ela. 

>> Se a criança está claramente doente, com febre, com sinais de constipação ou, esteve no período que antecedeu a cirurgia, informe o hospital antes de se deslocar, para verificar a possibilidade da cirurgia se realizar ou não.
>> É importante que cumpra todas as recomendações dadas pelo enfermeiro na consulta pré-anestésica, nomeadamente o banho na noite anterior e no dia da cirurgia, de acordo com o protocolo de desinfeção pré-operatória e cumpra também o jejum necessário de alimentos sólidos e líquidos, conforme os documentos entregues.
>> Traga algum objeto da criança que a faça sentir confortável (brinquedo, peluche…)
>> À chegada ao hospital vão ser recebidos pela equipa de enfermagem do internamento de cirurgia que após validar toda a informação da consulta pré-anestésica, vos informará e auxiliará em todos os procedimentos a seguir.
>> Aquando da ida da criança para o bloco operatório, a mesma será acompanhada pelos pais/representantes e pelo seu enfermeiro. Aí, os pais/responsáveis da criança falarão com o médico anestesista e deixá-la-ão ao cuidado da equipa do bloco operatório.

Devido às caraterísticas físicas e logísticas do bloco operatório não é permitida a entrada dos pais/representantes. Porém, em algumas situações muito específicas, o médico anestesista poderá achar benéfico a presença de um dos pais ou cuidadores. Nessas situações devem ser seguidas todas as recomendações dos profissionais.

Os problemas sérios decorrentes das técnicas anestésicas atuais são cada vez mais raros.
A maioria das crianças recupera rapidamente, atingindo o seu estado normal ainda dentro do tempo previsto para a recuperação cirúrgica.
Por norma, podem queixar-se de dor de garganta (dor que desaparece com a ingestão normal de líquidos e cujo aparecimento se deve à introdução do tudo de ventilação durante o processo de anestesia), dor de cabeça, náuseas ou vómitos.
Reações alérgicas, febre e tonturas são considerados os efeitos adversos mais raros.

É importante seguir todas as indicações dadas pelo enfermeiro.
Respeitar o repouso e o início da dieta. É importante não dar à criança nenhum alimento que não seja fornecido pelo hospital sem indicação/conhecimento da equipa, pois pode afetar todo o processo de recuperação.
Estando restabelecidas todas as necessidades da criança e após a visita do médico, será preparada a alta.
Serão entregues todos os documentos necessários e as equipas médica e de enfermagem fornecerão as informações e recomendações necessárias à continuidade da recuperação da criança.

 

Já no domicílio, se surgir alguma dúvida, os pais/representantes legais podem contactar o hospital através dos telefones 282 420 400 (unidades de Portugal Continente) e 291 003 300 (Ilha da Madeira), ou se preferirem, dirigir-se ao serviço de atendimento permanente. 

 


Medicina da Dor

A Medicina da Dor trata dores agudas pós-operatórias e crónicas. No Hospital Particular do Algarve tem ao seu dispor a Consulta da Dor, onde pode ter consulta de seguimento e tratamento eficaz para os vários tipos de dor prevalentes.

Trate a sua Dor numa consulta especializada.

O seu Anestesiologista estará sempre consigo, porque no século XXI viver com qualidade de vida e morrer com dignidade constituem uma obrigação básica da condição humana.