tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

Madeira Medical Center

00h01m

Atendimento Permanente

Dr. Carlos Glória

Médico Especialista em Pneumologia e Medicina Intensiva
Responsável pelo Laboratório do Sono
Diretor Clínico

 

Porque faz bem e faz crescer 

Laboratório do Sono do Hospital de Alvor - Mais completo e diferenciado

HPA Magazine 10


O sono é uma função fisiológica nobre, pela importância que detém na saúde em geral, mas igualmente na qualidade de vida, incluindo o crescimento e o envelhecimento saudáveis e ativos, devido às suas capacidades restauradoras, adaptativas e comportamentais. 
Estima-se que cerca de 60% dos portugueses sofra de perturbações do sono, que podem variar entre insuficiência de tempo de sono (insónias ou motivos sociais), distúrbios respiratórios durante o sono (apneias ou hipopneias), movimentos anormais (sonambulismo, ranger os dentes, pernas “inquietas”) ou outras patologias mais raras, mas bastante graves, como a narcolepsia. 
Apesar da maioria das perturbações do sono ser tratável, menos de um terço das pessoas procura ajuda profissional, sabendo-se que muitas das suas manifestações começam logo na infância - 20 a 30% das crianças apresentam algum tipo de problema de sono, com tendência para se manterem ao longo da vida adulta e do envelhecimento.

 



 


 

A privação ou a má qualidade de sono condicionam perturbações da vida social e profissional, por diminuição da vigília, desatenção, sonolência exagerada durante o dia, etc. Mas as consequências das alterações do sono incluem também riscos para a saúde em geral: a incidência de obesidade, hipertensão e diabetes é superior à população em geral, condicionando um aumento significativo de morbilidade e mortalidade por doença cardiovascular e o risco de acidentes, nomeadamente acidentes de viação, está também aumentado.
Além disso e de forma global, sabemos também que a qualidade do sono interfere com a homeostasia do sistema imunitário e da regulação hormonal. 
Segundo o Dr. Carlos Glória a intervenção precoce nas alterações do sono é fundamental, pois estas situações podem ser persistentes ou perpetuarem-se no tempo, provocando ansiedade no paciente e mesmo nos familiares. Ou seja, as disfunções do sono estão para lá de ser um problema individual, uma vez que mais cedo ou mais tarde, acabam por interferir com todos aqueles que privam mais de perto com a pessoa.
Continuando, explica: são vários os elementos que, em conjunto, permitem definir a qualidade do sono. O primeiro é a regularidade. Ter o hábito de dormir e acordar à mesma hora ao longo da semana faz parte da chamada “higiene do sono”. A segunda é a continuidade do período de sono, de forma a permitir a sequência de todas as fases do sono (sono superficial, sono profundo e sono REM, em que sonhamos). Finalmente a duração, que apesar de variar com a idade, deve cumprir pelos menos dois ciclos completos de sono, o que corresponde a um mínimo de 6 horas de sono no adulto. Só cumprindo todos estes requisitos é que o acordar é sentido de forma alerta e descansada.
O estudo do sono noturno através de equipamentos que monitorizam múltiplas variáveis (polisonografia), é uma das vertentes mais importantes do estudo das patologias associadas ao sono. Apesar de já estar em funcionamento há mais de 10 anos, o Laboratório do Sono do Hospital de Alvor foi sujeito a significativas melhorias, apresentando-se neste momento mais completo no que respeita à disponibilidade de exames.

 

Exames de avaliação do sono

A Polisonografia ou Registo Poligráfico do Sono Noturno regista uma variedade de funções que ocorrem durante o sono, como por exemplo, a atividade elétrica do cérebro, movimentos oculares, atividade muscular, frequência cardíaca, movimentos e fluxos respiratórios, níveis de oxigénio no sangue, entre outros parâmetros. A análise destas variáveis permite diagnosticar a maioria das patologias do sono e determinar a sua gravidade.
No grupo HPA fazem-se 3 tipos de polisonografias. Os estudos mais simples, chamados de nível 3, são feitos em praticamente todas as Unidades do Grupo (Clínicas e Hospitais). É um exame feito em ambulatório em que o próprio paciente conecta o equipamento que registará a existência ou inexistências de apneias ou hipopneias durante o sono, o ressonar, os níveis de oxigénio, etc. A polisonografia do nível 2, é um pouco mais complexa, já que, embora sendo também efetuada em ambulatório, permite também estadiar as fases do sono, os movimentos das pernas, etc. O paciente é ligado ao equipamento ao final do dia, num dos hospitais, e dormirá tal como no estudo anterior, na sua própria casa. O estudo mais complexo é a polisonografia nível 1. Envolve um estudo em ambiente controlado e é feito no hospital. Neste exame, o período do sono é também gravado em vídeo, permitindo uma análise mais aprofundada e diagnósticos de patologias mais complexas. 
O Teste de Latência Múltipla do Sono é um exame diurno e mede a velocidade com que o doente adormece durante o dia. Pode ser útil para aferir o grau de sonolência e excluir outras doenças do sono.


Para além das perturbações clínicas, os maus hábitos de sono também podem conduzir a um sono de má qualidade. Para melhorar o sono e bem-estar geral, a World Sleep Society criou os seguintes mandamentos.

Os dez mandamentos da higiene do sono para adultos

01. Estabelecer um horário regular de dormir e acordar;
02. Se tem o hábito de fazer sestas, não exceda os 45 minutos de sono durante o dia;
03. Evite fumar e a ingestão excessiva de álcool quatro horas antes da hora de dormir;
04. Evite o consumo de cafeína seis horas antes de dormir. Isto inclui café, chá e vários refrigerantes, e também o chocolate;
05. Evite comidas pesadas, picantes ou doces, quatro horas antes da hora de dormir;
06. Faça exercício regular, mas não imediatamente antes de se ir deitar;
07. Utilize roupa de cama confortável e agradável;
08. Encontre um nível de temperatura agradável e mantenha o quarto bem ventilado;
09. Bloqueie todo o ruído que cause distração e elimine a luminosidade ao máximo;
10. Reserve o seu quarto para dormir. Evite utilizá-lo para trabalho ou recreação geral.

Os dez mandamentos da higiene do sono para crianças 

01. Certifique-se de que o seu filho dorme a quantidade necessária, estabelecendo uma hora de deitar adequada à idade (de preferência antes das 21h), assim como uma hora de acordar;
02. Mantenha consistentemente uma hora de dormir e acordar, durante a semana e fins-de-semana;
03. Estabeleça uma rotina de sono e recomende o uso de roupas confortáveis para dormir, incluindo fraldas altamente absorventes nas crianças pequenas;
04. Encoraje o seu filho a adormecer de forma independente;
05. Evite luzes intensas à hora de dormir e durante a noite, aumentando a exposição à luz durante o período da manhã;
06. Mantenha todos os equipamentos eletrónicos (televisões, computadores e telemóveis) fora do quarto e limite o uso dos mesmos antes da hora de dormir;
07. Mantenha horários diários regulares, incluindo o horário de refeições;
08. Mantenha um horário de sestas apropriado à idade da criança;
09. Assegure amplamente a prática de exercício físico e de tempo passado no exterior;
10. Elimine alimentos e bebidas que contenham cafeína, que incluem vários refrigerantes, café e chá.

Idade e horas de sono


Quando procurar ajuda do especialista do sono

  • Distúrbios ventilatórios durante o sono, como a roncopatia ou apneia do sono;
  • Sonolência diurna excessiva;
  • Cansaço ao acordar (muitas vezes superior ao deitar)
  • Movimentos anómalos durante o sono, nomeadamente das pernas;
  • Insónias frequentes;
  • Pesadelos;
  • Sonambulismo (andar durante o sono);
  • Perda ou falta de forças súbita, desencadeada por emoções;
  • Bruxismo (ranger os dentes durante o sono);
  • Quando sofre de outras patologias que podem estar associadas a distúrbios do sono: obesidade, diabetes, hipertensão, diminuição da líbido, etc.