tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

Madeira Medical Center

00h01m

Atendimento Permanente

Eng.º Carlos Segundo 

Diretor de Sistemas 
de Informação

Eng.º Carlos Segundo

A tecnologia informática ao serviço da Saúde

HPA Magazine 15


A ausência da participação da informática ou, de forma mais abrangente, dos sistemas de informação, em qualquer área da sociedade atual é impensável, existindo setores em que essa presença e cooperação são mandatórias, como é o setor da saúde.

 

 

 

 


Na ótica de uma melhor e mais segura prestação de serviços de saúde aos nossos clientes, o Grupo HPA Saúde considerou sempre que a unificação da informação do doente, seria um fator crucial na definição das opções a implementar nos seus sistemas de informação. Assim sendo, todos os sistemas de informação foram implementados tendo o doente/cliente como fator central da informação. 
O principal desafio foi a dispersão geográfica das diversas unidades pelo Algarve, Alentejo e Madeira, pelo que a criação de uma rede de dados e comunicações privada, teria de ser apoiada em circuitos de fibra ótica que ligassem todas as unidades do Grupo e com a utilização de Datacenters comuns. Desta forma, foi esta a implementação adotada, desde o arranque da segunda unidade do Grupo, permitindo assim dar resposta a uma futura expansão para qualquer local do país, ou até mesmo do mundo. 
O segundo critério foi a implementação do processo único do doente, disponível em todas as unidades. Pretendeu-se garantir um acesso fácil por parte dos profissionais de saúde ao histórico do doente, independentemente da sua proveniência e/ou local de utilização, tendo esta opção sido um fator diferenciador e único em termos nacionais.
Estava assim conseguida a implementação de um sistema integrado de gestão clínica, com uma preocupação assente na transversalidade e acesso à informação, mas sobretudo na possibilidade da tomada de decisão em tempo que é útil. E por “tomada de decisão” deve entender-se um vasto leque de informações que incluem decisões clínicas, mas também decisões da organização administrativa, financeira, de recursos humanos e de gestão das diferentes unidades de saúde. 
O resultado da utilização destes sistemas, pretende-se fundamentalmente com o aumento da resiliência e da eficiência operacional organizacionais, que garantem um conhecimento contemporâneo do historial do doente/cliente, mas sobretudo permitem em segurança e de forma complementar e integral, assegurar permanentemente o seu acompanhamento, por qualquer profissional que o siga.
Este modelo de unificação de soluções passou assim a ser a norma, facilitando todos os processos e garantindo um funcionamento uniforme, com as mesmas soluções, desde a mais pequena unidade até à maior. Permitiu e permite ainda a implementação de soluções-piloto em uma das unidades e, assim que aprovada, replicar para as restantes unidades.
Os desafios colocados aos sistemas de informação são cada vez maiores, no sentido de aliar a necessidade de registo, à facilidade de o realizar e, sobretudo à necessidade dos sistemas darem ou produzirem algo em troca. Em termos estratégicos estamos a procurar que cada vez mais os sistemas disponíveis no Grupo HPA Saúde se modelem a quem os utiliza, disponibilizando a informação que mais importa a cada momento. Fizemos esse caminho com o upgrade do sistema do processo clínico, que permitiu uma utilização mais diversificada e alheia ao hardware utilizado, o que facilitou o processo de trabalho à distância, tão necessário e urgente entre março e maio de 2020 e, que ainda hoje tem um peso não displicente. 
Atualmente, o futuro dos sistemas de informação do Grupo HPA Saúde, são implementados com o objetivo de aproximação do cliente às suas unidades, bem como a simplificação dos métodos de comunicação e interação com o cliente, exemplo disso é a app myHPA Saúde que continuará a evoluir com mais funcionalidades. 

Sendo que a informação em tempo útil aos profissionais clínicos é crucial para uma boa prestação de serviços, já estão em implementação “alarmísticas automatizadas” para outros devices dos profissionais de saúde, como por exemplo alertas para resultados críticos, para uma reação adversa ou um ajuste rápido da terapêutica.
A evolução passa ainda pela implementação de processos de ajuda automática à decisão clínica, através de caminhos orientados nas melhores práticas clínicas mundiais, mediante a evolução do paciente. Estes passos também estão a ser dados nas áreas administrativas, por forma a automatizar mais os processos envolvidos.
Como diretor dos sistemas de informação, apoiamos as decisões da gestão de topo e da direção clínica, no sentido de garantir todas as bases para uma prestação de cuidados mais segura e eficiente. Para isso, as implementações passadas e futuras requerem sempre a integração global das soluções para garantir uma complementaridade de serviços e soluções.
Na realidade atual, o caminho passa pela desmaterialização de processos bem como pela disponibilidade de canais digitais, para que os clientes possam estar permanentemente informados e, em mobilidade poderem fazer marcações, remarcações, cancelamento de consultas, consultar o histórico de visitas, obter informação detalhada sobre consultas, profissionais de saúde e preparações de exames, aceder a resultados de exames (relatórios e imagens), ao histórico de pagamentos efetuados ou ainda à consulta do pagamento de faturas pendentes. Ou seja, continuamos a trabalhar em soluções que nos permitam estar 24 horas ao lado dos nossos clientes, responder-lhes eficazmente e em tempo útil às suas necessidades e expectativas, estejam eles onde estiverem.
Como retrospetiva, partilhamos alguma casuística relacionada com os sistemas de informação do Grupo HPA Saúde em 2020:

  • Prescrições internas médicas: 78.111;
  • Triagens: 66.565;
  • Internamentos: 21.069;
  • Primeiras Admissões: 89.392;
  • Emissão de Faturas: 956.407;
  • Notas Médicas: 618.251;
  • Administrações Terapêuticas: 393.027;
  • Prescrições Externas: 391.034;
  • Consultas Realizadas: 566.036;
  • Pedidos de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica: 480.622;
  • Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica Realizados: 964.457;
  • Validações Terapêuticas pelos Serviços Farmacêuticos: 22.133;
  • Mensagens HL7 de Integração de sistemas: 12.160.905.