tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

Over 1H30

Urgent Care

Hospital Particular Gambelas

01h23m

Urgent Care

00h00m

Paediatrics

Hospital Particular da Madeira

00h58m

Urgent Care

00h00m

Paediatrics

Madeira Medical Center

00h00m

Urgent Care

Enf. Miguel Casimiro

Consulta Externa 

 

 

Enf. Miguel Casimiro

Prevenção da infeção na ferida cirúrgica

HPA Magazine 21 // 2024

Atualmente, o crescimento do número de cirurgias é notório em quase todas as especialidades. Não só pelo aumento da esperança média de vida, onde as comorbilidades a serem tratadas se podem manifestar em maior número, como também pelo avanço do conhecimento científico, que torna possível tratar mais patologias com uma maior taxa de sucesso. Com o desenvolvimento dos cuidados de saúde, é possível que o paciente possa ter uma recuperação mais rápida, diminuindo o seu período de hospitalização e comorbilidades associadas, promover mais rapidamente a sua autonomia e o regresso ao domicílio para junto da família. Para tal, torna-se fundamental a existência da prestação de cuidados de Enfermagem, que visam a promoção da autonomia do paciente. Nesta perspetiva, o Regulamento do Exercício Profissional do Enfermeiro, aprovado pelo Decreto-Lei nº161/96 de 04 de setembro, enfatiza, na alínea número um, do quarto artigo do capítulo dois, que a Enfermagem, enquanto profissão, tem como objetivo ajudar o ser humano a alcançar a sua máxima funcionalidade o mais precocemente possível. 

 



 

O paciente cirúrgico tem vários riscos acrescidos à saúde inerentes ao ambiente hospitalar. Entre eles, o risco de infeção. Apesar de todas as medidas profiláticas, uma cirurgia implica sempre riscos, nomeadamente infeciosos. Neste sentido, torna-se crucial por parte do enfermeiro a higienização das mãos, a utilização de equipamento de proteção individual, garantir a correta higienização das superfícies bem como dos equipamentos utilizados, realizar o tratamento à ferida cirúrgica sob técnica assética, e ser detentor de conhecimento para a identificação de sinais de alerta. Assim, é possível minimizar o risco de infeção e diminuir possíveis complicações no paciente.
Na consulta externa do Grupo HPA, na unidade de Gambelas, o tratamento à ferida cirúrgica é uma intervenção realizada pelos enfermeiros. Estes profissionais são detentores de conhecimento científico na manutenção e recuperação da integridade cutânea do paciente (alínea c), do ponto número quatro do nono artigo do capítulo quatro do Decreto-Lei nº 161/96 de 04 de setembro. Desta forma, os princípios de assepsia e de destreza manual, bem como a identificação de sinais inflamatórios na ferida cirúrgica tornam-se cruciais para antecipar repercussões no paciente.
Existem cinco sinais inflamatórios: edema (inchaço), rubor (vermelhidão), calor, dor e perda de função. Quando é possível observar um destes sinais numa ferida cirúrgica, pode significar que algo não está bem. No entanto, a presença de um destes sinais, por si só, não significa inequivocamente que o paciente esteja a preceder ou já tenha uma infeção. Por exemplo, o edema é comum após uma cirurgia. Desta forma, a observação e a perícia clínica são importantes na distinção destes fatores. 

 

As intervenções de enfermagem, como enfatizado anteriormente, são fundamentais no cuidado ao ser humano. Não obstante, o trabalho em equipa multidisciplinar é, de igual forma, imprescindível no cuidado integral ao mesmo. Neste sentido, a articulação das intervenções de Enfermagem com outros profissionais de saúde tornam-se essenciais para atender às necessidades do paciente. Particularmente, o trabalho com a equipa médica é de extrema importância no que se refere à comunicação de alterações na ferida cirúrgica. Assim, é possível proceder-se a um cuidado conjunto e evitar complicações no paciente. Sabe-se que, de acordo com a Ordem dos Enfermeiros (2001), faz parte do papel do enfermeiro referenciar situações identificadas, consideradas potencialmente gravosas para o paciente, a outros profissionais da equipa multidisciplinar. Sendo o HPA uma unidade de saúde privada de referência no Algarve, a procura pela excelência dos cuidados é uma preocupação diária dos profissionais de enfermagem com vista à satisfação do paciente. Neste sentido, a Ordem dos Enfermeiros (2001) enfatiza o dever deste papel nos enfermeiros quando declara que deve existir uma procura constante pela excelência do exercício da profissão.