tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

Madeira Medical Center

00h01m

Atendimento Permanente

Sedação sem agulha e de curta duração

HPA Magazine 9

O protóxido de azoto, conhecido como “gás hilariante” devido ao seu efeito relaxante, é usado há várias décadas nos Estados Unidos e em Inglaterra. Tem um efeito analgésico, reduzindo a sensação de dor.
Descoberto em 1771, pelo cientista Joseph Priestley, a sua utilização clínica apenas foi iniciada em 1844, quando o dentista americano Horace Wells percebeu que o óxido nitroso, o “gás hilariante”, utilizado popularmente em feiras para produzir o riso incontrolado, tinha propriedades anestésicas. Assim, sentado na cadeira do seu próprio consultório e após ter inalado protóxido de azoto, ordenou a um colega que lhe extraísse um dente do siso.
O procedimento não doeu nada! A partir de 1960, o protóxido de azoto, começou a ser amplamente usado como pré-mistura com 50% de oxigénio.


SEDAÇÃO CONSCIENTE: 
O QUE É E COMO É ADMINISTRADA

Esta analgesia é pré-misturada, sempre com 50% de oxigénio. Como não é invasiva, não é preciso qualquer tipo de agulha para ser administrada e é muito fácil e rápida de utilizar, economizando tempo ao doente e aos profissionais de saúde. É apenas necessário que a pessoa respire através de uma máscara durante o procedimento a que está a ser sujeita. Os primeiros efeitos fazem-se sentir logo após cinco a seis inalações e o seu efeito máximo é atingido decorridos três minutos. Quando a administração é suspensa, a recuperação ocorre rapidamente entre três a cinco minutos seguintes.
Este tipo de analgesia inalatória tem uma taxa de eventos adversos inferior a 5% e pode ser utilizada de forma combinada com outros tipos de analgesia.
O protóxido de azoto é muito seguro e tem poucas contra-indicações. Existem apenas alguns casos em que deve ser evitado: na doença pulmonar obstrutiva crónica, no primeiro trimestre de gravidez e na medicação regular com ansiolíticos e/ou antidepressivos.

INDICAÇÕES CLÍNICAS 
O protóxido de azoto tem poucos efeitos colaterais e, por essa razão, pode ser administrado a pessoas de todas as idades. Com um largo espectro de ação clínica, é utilizado em todo o mundo com uma elevada taxa de sucesso, em áreas como a Medicina de Urgência, Medicina Dentária, a Ortopedia e na analgesia de trabalho de parto.

Informe sempre o profissional de saúde da sua história clínica e dos medicamentos que está a tomar.