tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h10m

Atendimento Urgente

Hospital Particular Gambelas

00h00m

Atendimento Urgente

00h20m

Pediatria

Hospital Particular da Madeira

01h14m

Atendimento Urgente

00h00m

Pediatria

Madeira Medical Center

00h00m

Atendimento Urgente

Sedação sem agulha e de curta duração

HPA Magazine 9

O protóxido de azoto, conhecido como “gás hilariante” devido ao seu efeito relaxante, é usado há várias décadas nos Estados Unidos e em Inglaterra. Tem um efeito analgésico, reduzindo a sensação de dor.
Descoberto em 1771, pelo cientista Joseph Priestley, a sua utilização clínica apenas foi iniciada em 1844, quando o dentista americano Horace Wells percebeu que o óxido nitroso, o “gás hilariante”, utilizado popularmente em feiras para produzir o riso incontrolado, tinha propriedades anestésicas. Assim, sentado na cadeira do seu próprio consultório e após ter inalado protóxido de azoto, ordenou a um colega que lhe extraísse um dente do siso.
O procedimento não doeu nada! A partir de 1960, o protóxido de azoto, começou a ser amplamente usado como pré-mistura com 50% de oxigénio.


SEDAÇÃO CONSCIENTE: 
O QUE É E COMO É ADMINISTRADA

Esta analgesia é pré-misturada, sempre com 50% de oxigénio. Como não é invasiva, não é preciso qualquer tipo de agulha para ser administrada e é muito fácil e rápida de utilizar, economizando tempo ao doente e aos profissionais de saúde. É apenas necessário que a pessoa respire através de uma máscara durante o procedimento a que está a ser sujeita. Os primeiros efeitos fazem-se sentir logo após cinco a seis inalações e o seu efeito máximo é atingido decorridos três minutos. Quando a administração é suspensa, a recuperação ocorre rapidamente entre três a cinco minutos seguintes.
Este tipo de analgesia inalatória tem uma taxa de eventos adversos inferior a 5% e pode ser utilizada de forma combinada com outros tipos de analgesia.
O protóxido de azoto é muito seguro e tem poucas contra-indicações. Existem apenas alguns casos em que deve ser evitado: na doença pulmonar obstrutiva crónica, no primeiro trimestre de gravidez e na medicação regular com ansiolíticos e/ou antidepressivos.

INDICAÇÕES CLÍNICAS 
O protóxido de azoto tem poucos efeitos colaterais e, por essa razão, pode ser administrado a pessoas de todas as idades. Com um largo espectro de ação clínica, é utilizado em todo o mundo com uma elevada taxa de sucesso, em áreas como a Medicina de Urgência, Medicina Dentária, a Ortopedia e na analgesia de trabalho de parto.

Informe sempre o profissional de saúde da sua história clínica e dos medicamentos que está a tomar.