tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h03m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

Madeira Medical Center

00h01m

Atendimento Permanente

Outubro - Mês Rosa 

Façamos do rosa a cor da superação, dos vencedores, da vida. Todas as 6ªs feiras durante este mês, oferecemos-lhe uma consulta de enfermagem para que possa aprender a reconhecer os sinais de alerta acerca do responsável pela primeira causa de morte na mulher.
Agende a sua consulta através do 291 003 300.

 

Ter antecedentes familiares de cancro de mama, aumenta o risco de desenvolver a doença?
Esta é uma questão que preocupa muitas mulheres.
Embora as mulheres com histórico familiar de cancro de mama estejam num grupo de risco mais elevado, só cerca de 10% tem de facto antecedentes familiares. Há ainda um aspeto importante a reter: o grau de parentesco.

  • Se tem um parente de 1º grau com cancro de mama
  • Se a sua mãe, filha ou irmã desenvolveram cancro de mama com menos de 50 anos, deve considerar o rastreio regular da mama, 10 anos antes do diagnóstico da sua parente.
  • Se tem um parente de 2º grau com cancro de mama
  • Se uma avó ou tia foram diagnosticadas com cancro de mama, o seu risco aumenta ligeiramente, mas não está na mesma categoria de risco que aqueles que têm um parente de 1º grau com cancro de mama.
  • Se tiver várias gerações com diagnóstico de cancro de mama no mesmo lado da família, ou se houver várias pessoas que são parentes de 1º grau entre si, ou vários membros da família com diagnóstico de cancro de mama com menos de 50 anos, aumenta a probabilidade do desenvolvimento de genes cancerígenos, contribuindo para a causa dessa história familiar.

O outubro rosa é também para os homens, pois o cancro de mama não é um assunto exclusivamente feminino.
Embora a percentagem de cancro de mama nos homens seja pequena, estes devem também autoavaliar-se periodicamente, realizando o autoexame das mamas durante o banho.
O cancro de mama em homens geralmente é detetado como um nódulo duro no mamilo e/ou na aréola, sendo a sua mortalidade elevada.
A explicação para esta prevalência reside no facto de que os homens ainda não estar despertos para a prevenção, atrasando o diagnóstico, o tratamento e infelizmente a cura.