tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h05m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h13m

Atendimento Permanente

00h26m

Pediatria

Madeira Medical Center

00h15m

Atendimento Permanente

Imunoalergologia Pediátrica

Imunoalergologia Pediátrica | Grupo HPA Saúde


A Consulta de Imunoalergologia Pediátrica foi constituída para acompanhar crianças e adolescentes na prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças alérgicas e doenças do sistema imunitário.


PRINCIPAIS PATOLOGIAS/DOENÇAS

As patologias imunoalergológicas mais frequentes na criança são:

Asma

A Asma é uma das doenças crónicas mais frequentes na criança. Não pode ser curada, mas pode e deve ser controlada. Trata-se de uma inflamação dos brônquios devido à ação de diversos estímulos, aler­génios ou irritantes. Daí resulta um súbi­to aperto de maior ou menor intensidade, mas habitualmente temporário. A dificul­dade respiratória deve-se ao bloqueio do ar, preso nos pulmões, que não pode sair normalmente. Durante a crise de asma, a criança revela-se ansiosa e sente que a sua respiração tem limitações. Pode mesmo ter a sensação de sufocação. Se a doença não é tratada adequadamente, a inflamação instala-se, tornando-se per­manente. As crises de asma podem ser desencadeadas ou agravadas, por estímulos específi­cos (alergénios) ou inespecíficos.
 

Principais estímulos:

Específicos – São substâncias que podem dar sintomas nas crianças alérgicas e não causam sintomas nas não-alérgicas.

Alergénios – São importantes desenca­deantes de asma:

  • Ácaros do pó da casa (no quarto de dormir, nas roupas de cama, nas alca­tifas e nos colchões);
  • Pêlos de animais;
  • Pólenes de algumas plantas;
  • Fungos (bolores);
  • Baratas.

Inespecíficos – Podem desencadear ou agravar os sintomas de asma, tanto nas crianças alérgicas como nas não-alér­gicas:

  • Infecções víricas;
  • Irritantes (cheiros ativos, perfumes, vernizes, tintas, vapores de cozinha­dos; outros químicos como pó de talco; poluentes atmosféricos);
  • Fumo de tabaco – Tem sido descrito um aumento da incidência da asma em crianças de mães fumadoras;
  • Variações climáticas (alterações da temperatura, de pressão, humidade, assim como ventos fortes);
  • Exercício – Uma grande percentagem de crianças asmáticas alérgicas tem sintomas de asma após esforços. Esforços de longa duração (corridas de fundo), são os que mais provocam a asma, ao contrário da natação que é ge­ralmente bem tolerada.
     

Rinite Alérgica

A rinite alérgica é uma inflamação da mucosa nasal e constitui uma patologia muito frequente. No conjunto das doenças alérgicas é, sem dúvida, a mais prevalente. Porém, o diagnóstico é na maioria das vezes tardio por ser interpretada como uma infeção comum (por exemplo, constipação). Em situações arrastadas e não controladas poderá complicar-se com sinusite, polipose nasal, otite ou asma brônquica.
 

Eczema Atópico

É uma doença crónico-recidivante da pele, que com frequência se associa a outras doenças alérgicas, nomeadamente a asma brônquica e a rinite, aparecendo habitualmente antes das manifestações respiratórias. Atinge preferencialmente os grupos etários pediátricos e em 80% dos casos manifesta-se durante o primeiro ano de vida.
 

Alergia Alimentar

A alergia a um determinado alimento ori­gina, habitualmente, o aparecimento dos sintomas poucos minutos após a ingestão. Estas reacções denominadas imediatas po­dem atingir a pele e mucosas, as vias res­piratórias, os sistemas gastrointestinal e cardiovascular, de uma forma isolada ou combinada. Surgem, assim, manifestações de urticária, angioedema, rinoconjuntivi­te, asma e choque anafiláctico. As mani­festações clínicas de tipo imediato mais frequentes são a urticária, o angioedema, e a síndrome de alergia oral. As reacções anafilácticas são mais raras.

Leite, ovo, frutos secos, soja, trigo, peixe e marisco são os alimen­tos mais frequentemente envolvidos na criança.
 

Urticária

É caracterizada pelo rápido aparecimento de pápulas (lesões cutâneas ligeiramente elevadas em relação à pele sã), eritemato­sas (avermelhadas) algumas vezes esbran­quiçadas na parte central, acompanhadas de prurido (comichão) ou por vezes sen­sação de queimadura, desaparecendo por breves segundos após pressão. Estas lesões regridem espontaneamente ou com tera­pêutica, sem lesão residual num período de 24 horas podendo recorrer. Em alguns casos, o edema pode ser mais profundo dando origem ao aparecimento de angioede­ma (inchaço), por vezes doloroso em al­ternativa a pruriginoso, com envolvimento frequente das mucosas, sendo a resolução mais lenta comparativamente à da urticá­ria (até 72 horas). Pode ser aguda ou crónica (duração superior a 6 semanas).


EXAMES RELACIONADOS

  • Testes cutâneos - São realizados com várias substâncias, alergénios, mesmo em crianças muito pe­quenas para identificar a alergia.;
  • Estudo da função respiratória - Pode ser realizado com um aparelho mui­to simples (Peak Flow Meter), ou outros mais complexos. Serve para avaliar o grau de obstrução dos brônquios. Necessita da colaboração da criança;
  • Exames ao sangue, fezes e radiológicos.

PONTOS FORTES DA ESPECIALIDADE NO GRUPO HPA

A consulta especializada de Imunoalergologia Pediátrica recebe apoio de outras especialidades médicas nomeadamente Pediatria, Pneumologia, Otorrinolaringologia.

 


LIGAÇÕES

Ficheiros para Download
Folhetos da SPAIC:

especialidade disponível nas unidades

Algarve

  • Hospital Particular do Algarve - Alvor
  • Hospital Particular do Algarve - Gambelas
  • Clínica Particular do Algarve - Guia

médicos

Hospital Particular do Algarve - Alvor

Hospital Particular do Algarve - Gambelas

Clínica Particular do Algarve - Guia