tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h05m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h30m

Atendimento Permanente

Dr.ª Marisol Anselmo

 

Pediatra e Neonatologista

Puberdade precoce quando se deve avaliar?

HPA Magazine 12


Considera-se a puberdade como sendo um período de transição entre a infância e a idade adulta. Carateriza-se pelo aparecimento dos carateres sexuais secundários e o crescimento em estatura. 
Existem vários fatores que se pensa serem determinantes para o início da puberdade, como sejam fatores genéticos, fisiológicos, ambientais e socioeconómicos (por exemplo, a pobreza e malnutrição podem condicionar a puberdade). 
O início precoce da puberdade vai provocar uma maturação óssea, aumento da velocidade de crescimento e uma estagnação precoce, podendo assim condicionar a estatura final destas crianças. Pode provocar igualmente problemas emocionais porque o corpo matura, mas o desenvolvimento emocional não acompanha essa nova fase. 
Nas meninas o normal desenvolvimento da puberdade ocorre com o aparecimento do botão mamário, geralmente entre os 9 e os 12 anos. A menarca (primeiro período menstrual) surge em média cerca de 2,6 anos após o início do desenvolvimento mamário.
Nos rapazes o marcador de início da puberdade é o aumento do volume dos testículos, em regra entre os 10 e os 13 anos, geralmente precede o aumento do tamanho do pénis e o aparecimento dos pelos púbicos.
Dada a influência dos fatores hereditários neste contexto é sempre importante saber quando ocorreu o desenvolvimento sexual em ambos os progenitores.


Quando se deve pensar em puberdade precoce?

Inicia-se a puberdade quando surgem os primeiros sinais físicos de influência hormonal para o desenvolvimento pubertário. Durante muitos anos considerou-se precoce o aparecimento de carateres sexuais antes dos 8 anos nas meninas; salvaguarda para as meninas de raça negra em que pode ser normal surgir mama e pelos púbicos entre os 6-8 anos. 
Nos rapazes considera-se precoce se a puberdade (aumento do volume testicular) surge antes dos 9 anos. Nas meninas o mais importante é o aparecimento do botão mamário antes dos 6-8 anos e nos rapazes o aumento do volume testicular. Sinais que justificam sempre uma observação pelo médico assistente.

Quais são os tipos de puberdade precoce que existem?

A puberdade é provocada por hormonas. Estas hormonas são produzidas no cérebro e/ou nos órgãos periféricos: os ovários, testículos ou glândulas suprarrenais. 
A puberdade pode iniciar-se por ativação hormonal central, ou seja, quando as hormonas são produzidas pelo eixo hipotálamo-hipófise, que deveria estar adormecido, desperta e dá ordem para o início do desenvolvimento pubertário sequencial e adequado ao sexo da criança. Embora precoce, neste caso designa-se Puberdade Precoce Central. 
Na puberdade precoce de origem periférica não existe alteração do eixo hipotálamo-hipófise. Existe aumento dos estrogénios nas meninas e da testosterona nos rapazes que vão atuar respetivamente nos ovários e nos testículos. Pode ainda ocorrer o aumento de hormonas sexuais com origem exógena, como sejam em tumores ou glândulas suprarrenais. Neste caso, pode ocorrer virilização das meninas ou levar ao aparecimento de carateres sexuais femininos em rapazes. 
Pode ainda ocorrer um desenvolvimento precoce e isolado da mama, chamada telarca precoce habitualmente em meninas com idade inferior a 3 anos, ou o aparecimento de pelos púbicos ou nas axilas, a pubarca precoce, em ambos os sexos e que não se acompanha de outros sinais de puberdade. Estes acontecimentos podem ser apenas variantes da normalidade, habitualmente de evolução lenta, mas carecem de uma história clínica, observação médica detalhada e atenção à curva de crescimento, avaliação feita pelo pediatra assistente. 

Quando é que os pais devem procurar ajuda?

Quando têm filhas e estas apresentam crescimento mamário, aparecimento de pelos púbicos ou menarca, antes dos 6 a 8 anos. No caso dos meninos, quando estes apresentam crescimento dos genitais, nomeadamente dos testículos, acompanhado do aparecimento de pelos axilares e púbicos, antes dos 9 anos de idade.

O que pode causar a puberdade precoce?

A puberdade precoce central ocorre 10 a 20 vezes mais frequentemente em meninas do que em rapazes e, em mais de 80% dos casos a sua causa é desconhecida. Estão em maior risco as crianças obesas, as que estiveram expostas a corticoides de forma persistente ou que nasceram com extremo baixo peso. Em casos mais raros a etiologia poderá estar num tumor do sistema nervoso central ou em tumores dos ovários.
A puberdade precoce de causa periférica poderá ter a sua origem em excessos hormonais com origem nos ovários, testículos ou glândulas suprarrenais. Frequentemente em meninas a causa são quistos nos ovários. Estes quistos podem surgir e regredir espontaneamente. Nos rapazes pode estar implicado tumor dos testículos.
A hiperplasia congénita da suprarrenal deve ser um diagnóstico considerado pelo clínico que está a estudar estes casos. 
Casos mais raros como a síndrome de McCune-Albright caraterizada por puberdade precoce, manchas café com leite e displasia óssea, são diagnósticos de exclusão.

Que estudos devem ser feitos para investigar uma puberdade precoce?

Sob orientação do pediatra e ou endocrinologista pediátrico, a criança poderá ter de fazer exames com doseamentos hormonais no sangue, radiografia da mão e punho para saber qual a idade dos ossos (dá uma ideia do grau de maturação dos ossos), ecografia dos ovários ou testículos e eventualmente ressonância magnética cerebral.

Existe tratamento para a puberdade precoce?

O tratamento depende da causa para o início da puberdade, da idade que a criança tem e da rapidez que estas mudanças estão a acontecer no seu corpo. 
Um dos grandes objetivos do tratamento é que a criança não prejudique a sua estatura final na idade adulta. Quando a puberdade se inicia precocemente, as crianças ficam mais baixas que os seus pares na idade adulta. 
O tratamento depende da causa que motivou o início da puberdade. Se a puberdade ocorre por aumento das hormonas produzidas pelo cérebro, sem causa para que tal ocorra, então pode ser administrada à criança um medicamento que inibe o avanço da puberdade.
Se a causa é por aumento das hormonas produzidas pelos órgãos reprodutores, então o tratamento é dirigido de forma individualizada consoante a etiologia.

Qual o prognóstico?

Se o tratamento for instituído antes de ter ocorrido uma maturação óssea acentuada, então não haverá comprometimento da estatura final. Contudo, o prognóstico depende da idade de início da puberdade e do seu diagnóstico.