tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h11m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

00h22m

Atendimento Permanente

00h17m

Pediatria

Hospital Particular da Madeira

00h42m

Atendimento Permanente

00h13m

Pediatria

Madeira Medical Center

Superior a 1H30

Atendimento Permanente


Anemia Um Problema a Combater

Notícia em: Jornal da Madeira - PUBLIREPORTAGEM | 12 de janeiro 2020 > Ver



 


 

Saber mais

Dra. Patrícia Matos Olim

  • Especialidade em Hematologia Clínica nos Hospitais da Universidade de Coimbra (2012)

  • Mestrado Integrado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (2011)

  • Actividade profissional na área de Hematologia Clínica com seguimento e tratamento de doentes com patologias do foro hematológico e hemato-oncológico em regime de consulta externa ou hospital de dia.

  • Trabalhos científicos no âmbito das anemias, leucemias, linfomas, doença de hodgkin e mielomas.


O Dia Nacional da Anemia foi estabelecido a 26 de Novembro, dado tratar-se de um problema de saúde pública que atinge cerca de 20% da população portugue­sa adulta. Para esta problemática contribuem o diagnóstico e o tra­tamento inapropriados o que faz perdurar a elevada prevalência no nosso país.

O nome anemia tem origem no grego anaimía, que significa “falta de sangue”. Este é produzido na medula óssea e é constituído por plasma, glóbulos vermelhos, gló­bulos brancos e plaquetas.

Actualmente, a anemia é defi­nida como uma diminuição no nú­mero de glóbulos vermelhos ou na concentração da hemoglobina no sangue. Esta molécula transporta o oxigénio a todas as células do organismo permitindo um funcio­namento eficaz das mesmas. Deste modo, em situação de anemia, a falta de aporte de oxigénio às célu­las, conduz a um compromisso, não raras vezes, notório na qualida­de de vida do indivíduo. Tal estado pode ter implicações negativas no rendimento laboral e na vida fami­liar, com impacto económico pela redução de produtividade não só física como cognitiva. 

Apesar de acontecer em qual­quer fase da vida, a anemia é mais comum em períodos de metabolis­mo elevado, como o crescimento e a gravidez ou em situação de he­morragias fisiológicas, como por exemplo na menstruação e pato­lógicas, como as digestivas. Re­gista-se uma incidência elevada no idoso, sendo frequentemente multifactorial. Por estas razões, os parâmetros normais variam de acordo com a idade, com o sexo e com a fase da vida.

Como detectar a anemia?

A anemia é detectada através da realização do hemograma com observação de esfregaço de sangue periférico e a investigação da sua etiologia deve ser efectuada mes­mo em pessoas assintomáticas. As diversas causas de anemia po­dem ter origem hereditária (talas­sémias), hemolítica, deficiências de ferro, vitamina B12 ou ácido fólico, perdas hemáticas ou outras con­dições como neoplasias, doenças infecciosas/inflamatórias, doenças crónicas e/ou auto-imunes. 

São sinais e sintomas de aler­ta a palidez muco-cutânea, fadiga física e mental, perda de concen­tração, palpitações, tonturas, ce­faleias, sonolência, irritabilidade, perda de apetite, falta de ar, perdas sanguíneas gastrointestinais ou gi­necológicas, icterícia, urina escura ou perda ponderal.

Tendo por base que a anemia por deficiência de ferro é a causa mais comum, além de identificar as suas causas podemos preveni-la com uma dieta equilibrada que inclua carne, peixe, fruta, vegetais de fo­lha verde e consumo moderado de leite ou chá, sobretudo quando em concomitância com as principais refeições (almoço e jantar). A vi­tamina C presente nos citrinos, Ki­wis, brócolos tem papel importan­te na absorção de ferro. Também é importante lembrar que a dieta vegetariana pode causar anemia por deficiência de vitamina B12 e o consumo abusivo de bebidas al­coólicas pode desencadear anemia por deficiência de folatos.

O tratamento da anemia depen­de da sua etiologia e tem em vista a reposição dos níveis normais de hemoglobina e de glóbulos verme­lhos de forma a manter a adequada oxigenação dos tecidos sem reper­cussões clínicas.