tempos médios de espera

Hospital Particular Alvor

00h13m

Atendimento Permanente

Hospital Particular Gambelas

Superior a 1H30

Atendimento Permanente

00h10m

Pediatria

Hospital Particular da Madeira

00h03m

Pediatria


Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Pedir informação


Também conhecida como Neonatologia, é nesta Unidade que ficam internados os recém-nascidos de termo ou pré-termo que pela sua situação clínica necessitem de vigilância clínica ou de cuidados especiais. 

Aqui encontrará uma equipa constituída por médicos e enfermeiros residentes com experiência em Neonatologia e um espaço constituído por 5 postos de cuidados intensivos equipado com os melhores e mais recentes recursos técnicos necessários à estabilização e tratamento destes bebés.

 

Neonatologia

A Prematuridade

Define-se como prematuridade o nascimento do bebé antes das 37 semanas de gestação. Com o acréscimo dos tratamentos de fertilidade e o aumento da idade das grávidas os partos pré-termo são cada vez mais frequentes, com uma média de aproximadamente 9% em todo o mundo.

 

Os avanços da medicina moderna e a diferenciação dos profissionais de saúde nesta área permitem hoje em dia a sobrevivência de bebés a partir das 24 semanas e dos 500g de peso, mas o risco de problemas no desenvolvimento e no comportamento é significativamente mais elevado em prematuros. Este aspeto é tanto mais incidente quanto menor a idade gestacional ao nascimento. 

Quando os bebés nascem antes das 35 semanas vão necessitar de cuidados especiais numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN). Os bebés prematuros são mais sensíveis, frágeis, com dificuldade em se alimentar ou acalmar.

Durante a permanência na Unidade é necessário colocar o bebé numa incubadora, monitorizar os seus parâmetros vitais continuamente e frequentemente ajudá-lo a respirar e a alimentar-se através de dispositivos médicos, tornando o ambiente um pouco intimidante para os pais e agressivo do ponto de vista sensorial para o bebé.

O NIDCAP – Newborn Individualized Developmental Care and Assessment Program – é um programa de cuidados individualizados e de avaliação ao desenvolvimento dos prematuros, criado em 1984 por Heidelise Als, PhD, sendo o único programa que de forma compreensiva, é centrado na família e baseado na evidência, promovendo os cuidados ao desenvolvimento dos bebés prematuros. 

O objetivo do NIDCAP é adaptar o ambiente da unidade neonatal ao potencial de neuro desenvolvimento único de cada bebé e aos desafios médicos que terá de enfrentar na sua estadia na UCIN.

Esses cuidados de neuroproteção do bebé prematuro, centrados na família, visam proteger o prematuro do excesso de luz, som e outros estímulos excessivos do ambiente da UCIN. São cuidados individualizados a cada bebé na higiene e conforto, apoio ao método Kangaroo, pele a pele, aleitamento materno e promoção do sono. 

São realizadas reuniões semanais com a equipa médica e de enfermagem de forma a complementar a informação aos pais e a promover a sua calma e bem-estar. É promovido o alojamento conjunto entre os pais e o bebé antes da alta com vista a uma maior confiança por parte dos pais.

Na nossa UCIN, desde a sua inauguração em julho 2014, todos os bebés são cuidados segundo o programa do NIDCAP, com respeito máximo pelo cuidado individual de cada prematuro, com vista aos melhores cuidados.

“Quando cuido de um bebé a minha mente está nas minhas mãos” John Chappel 

A alta hospitalar do bebé prematuro

Texto da Enf.ª Ana Freitas

Pedir informação


 

A alta hospitalar do bebé prematuro


 

O nascer prematuro é algo inesperado e uma situação delicada que despoleta nos pais preocupações, ansiedade, inseguranças e um sentimento de frustração pela separação do seu filho. A família vivencia sentimentos opostos assentes ao mesmo tempo na esperança, ao testemunhar a luta do prematuro pela vida, mas também a ansiedade pela constante instabilidade clínica.

A necessidade de uma prolongada permanência hospitalar, com consequente afastamento dos pais do bebé por tempo indeterminado, o constante contacto stressante com um ambiente hospitalar, a aparência e as condições de saúde do bebé prematuro, o recurso elevado de tecnologias e a interação com diferentes profissionais de saúde podem dificultar o desenvolvimento do papel da parentalidade e, afetar o vínculo entre os prematuros e os seus pais.

A chegada da alta hospitalar é um momento muito esperado pelos pais, mas também ao mesmo tempo assustador, pois é repleta de desafios e medos, sendo caracterizado por expecta­tivas e incertezas, pois é um ponto de viragem, em que os pais se deparam com o momento em que assumem verdadeiramente e de forma autónoma os cuidados ao bebé. É, por isso importante o envolvimento dos pais em cada passo, em cada cuidado, o mais precocemente possível.

Durante o internamento na nossa Unidade a intervenção de enfermagem não está assente apenas nos cuidados do dia-a-dia, como nos cuidados de higiene, alimentação/amamentação e conforto, mas também, num cuidado holístico, considerando múltiplas perspetivas, como as psicossociais e culturais da unidade familiar.

O acompanhamento do recém-nascido prematuro e da sua família após a alta hospitalar fazem parte das políticas de saúde e são essenciais para a promoção da saúde e prevenção da doença do bebé.

 

Galeria de Imagens - Dia Mundial da Prematuridade